terça-feira, 24 de março de 2015

Série que não podes perder



Numa das Tag's que respondi sobre séries mencionei que uma que estava mortinha para assistir era Reign, e adivinha...não me arrependi minimamente e agora venho recomendar.
Viciei na história, no guarda roupa, penteados, maquilhagens e afins, na fotografia, no elenco...fiquei colada ao ecran até ficar sem nenhum episódio.

 

Reign debruça-se sobre a história de Mary Stuart, rainha da Escócia de 14 de Dezembro de 1542 a 24 de Julho de 1567. Mary herdou  o trono do seu pai com 6 anos de idade, acabando por ser prometida a Francis através do tratado de Greenwich oficializado com o rei Henrique VIII de modo a estabelecer uma aliança entre a Escócia e França contra a Inglaterra protestante.
Logo no primeiro episódio Mary é transferida para o Castelo de França quando o seu esconderijo, onde cresceu, deixa de ser seguro. Aos 15 anos conhece o seu noivo, uma corte e assume o papel de uma vida na defesa dos interesses da Escócia com a ajuda das suas quatro damas, vindas de famílias nobres da Escócia.
Se esta rainha já é caracterizada historicamente pelo seu estilo Shakesperiano devido às imensas tragédias que ocorreram desde do seu nascimento até à sua morte, nesta série, embelezam os factos com mais intrigas, esquemas, enlaces, amores e vinganças que apimentam toda a história e prende-te ao ecran.
Documentos históricos relatam uma rainha bastante atraente, determinada e que viveu uma verdadeira história de amor com Francis com quem casou e reinou a França numa perspectiva vanguardista para época até à morte do seu marido em 05 de Dezembro 1560, aproximadamente 17 meses depois de subir ao trono. A actriz não desiludiu  em nenhum momento, impondo a sua presença ora enquanto rainha, ora enquanto jovem cheia de sonhos que queria ser mais do que apenas uma rainha, mais normal.
De facto esta série promove a reflexão em vários momentos, como seria a nossa vida se já tivesse traçada? Como agiríamos quando os  interesses de um país sobrepõem aos nossos? E será que se sobrepõem? Apesar de poucos (ou nenhuns) de nós termos essas preocupações, a verdade é que a modernidade dada a esta série faz com que nos identifiquemos com ela e tomemos partidos pelas personagens.


Esta série estreou em 2013 e já conta com uma temporada e meia, tendo a 3ª já sido confirmada (yey), encontra-se cotada com 7,7 em 10 no IMDB e foi criada por Laurie McCarthy e Stephanie Sengupta que a abandonou antes da estreia por supostamente se querer dedicar a novos projectos.
Considerada um drama e fantasia pelo sobrenatural adicionado em vários momentos, cada episódio desta série dura aproximadamente 42 minutos. O que mais gosto desta série é que em acontece tudo muito rápido, basta um episódio para mudar toda a trama.
A fotografia é impecável, o argumento enriquecedor e o casting foi sem dúvida bem direccionado. Mas, o que tenho mesmo que salientar é a banda sonora super atual.
Recomendo e subia a pontuação para 8.


 


Vais perder esta série? 
Já assistes?

Sem comentários:

Enviar um comentário