terça-feira, 6 de outubro de 2015

Dieta FODMAP's

Se acompanhas o blog e o seu instagram  com regularidade, já deves ter percebido que estou a fazer a dieta de FODMAP's, e porquê perguntas tu e muito bem, porque estou de castigo! Esta dieta é recomendada para quem sofre do síndrome do cólon irritado com obstipação, depois de várias experiências e proibições a Dra. Sue Shepherd apresentou uma nova proposta que consiste em evitar todos os alimentos que fermentam no estômago e que provocam gazes. Desses surgiu o acrónimo para um conjunto de carboidratos osmóticos de difícil digestão, nomeadamente,  “fermentable oligosaccharides, disaccharides, monosaccharides and polyols”. Esta promete uma melhoria dos sintomas em 74% e por isso decidi arriscar e tentar a minha sorte. 

Esta dieta é super simples, só tens que seguir a listinha dos produtos permitidos e proibidos temporariamente para que seja possível, sob orientação médica, identificares quais são os alimentos que provocam os sintomas. 


A verde estão os produtos com baixo teor de FODMAP's e como tal estão deliberados, enquanto a vermelho estritamente proibidos. A estes juntam-se alguns produtos que exigem um consumo moderado e com atenção, são eles:
  • Cerejas, menos que 3
  • Abacate, apenas 1 quarto
  • Lichias, menos que 5
  • Romã, só metade
  • Banana seca, menos que 10
  • Coco ralado, menos que 1 quarto de xícara
  • Beterraba, até 4 fatias
  • Broculos, meia xícara
  • Abóbora manteiga, até meia xícara
  • Couve lombarda, menos que uma xícara
  • Ervilhas, menos que meia xícara
  • Quiabos, até 3
  • Vagens, menos que 10
  • Milho, até meia xícara
  • Batata doce, até meia xícara
  • Até 10 amêndoas
  • Até 10 avelãs
 Depois há outras recomendações como beber muita água, que ando a beber litro e meio por dia, comer pouco e 3 em 3 horas e variar a alimentação.

De inicio confesso que foi muito difícil para mim e ainda continua a ser em convívios, jantares, festas e afins, tudo que envolve comer fora torna-se assustador porque custa tanto manteres a disciplina e depois correres o risco de a perderes por desconhecimento é frustrante. A leitura de rótulos aumentou o tempo das compras e o poder de decisão, mas a tua vida fica bem mais saudável. 

A verdade é que não comer lactose e glúten restringe muito mas já consegues ir substituindo, só que é muito caro mesmo (não será descriminação? digo eu assim naquela).

A nível de melhorias posso dizer que diminui a frequência dos sintomas, mas na sua raridade aumentou as dores que continuam e estão mais insuportáveis. 


Sem comentários:

Enviar um comentário