quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Livro: A Chave de Salomão

"O corpo de Frank Bellamy, o director de Tecnologia da CIA, é descoberto no CERN, em Genebra, na altura em que os cientistas procuram o bosão de Higgs, também conhecido por Partícula de Deus. Entre os dedos da vítima é encontrada uma mensagem incriminatória.


Ψ
The Key: Tomás Noronha

A mensagem torna Tomás Noronha o principal suspeito do homicídio. Depressa o historiador português se vê na mira da CIA, que lança assassinos no seu encalço, e percebe que, se quiser sobreviver, terá de deslindar o crime e provar a sua inocência.
Ou morrer a tentar.
Começa assim uma busca que o conduzirá às mais surpreendentes descobertas científicas alguma vez feitas.

Será que a alma existe?

O que acontece quando morremos?

O que é a realidade?

Com esta empolgante aventura que arrasta o leitor para o perturbador mundo da consciência e da natureza mais profunda do real, José Rodrigues dos Santos volta a afirmar-se como o grande mestre do mistério. Apesar de ser uma obra de ficção, A Chave de Salomão usa informação científica genuína para desvendar as espantosas ligações entre a mente, a matéria e o enigma da existência."


Olha, olha quem está de volta! Já tinhas saudades confessa lá? "Não", então também não tens grandes motivos de queixa porque até tenho variado nas propostas e ele já não aparecia a algum tempo. Mas, sabes como se diz, "bom filme, a casa retorna" e foi inevitável.
Confesso que quando fui à biblioteca o requisitar, ele não era a minha ideia inicial, mas como o outro estava emprestado e este estava tão ali à mão, tão a chamar por mim... olha não resisti e aqui está ele. 
Ao contrário dos que aqui têm aparecido, este é dos mais recentes e por isso fiquei desiludida... Está escrito muito à imagem e semelhança de Dan Brown (logo agora que ele já se estava a distanciar um bocadinho, tinha que ter esta recaída) e dos livros mais antigos... prometia fazer uma reflexão sobre a existência da alma e até que começou bem encaminhado, só que ali num momento não muito bem perceptível ao leitor, dá-lhe um vipe e começa a falar sobre a luz ser uma onda e uma partícula e a lua só existir porque a observamos e coisas assim do género muito discutidas por Einstein e Heisenberg (não, não é o de Breaking Bad)... eh pah é muita física para um livro só!
Ah, não vos contei do que se trata a história e já estou para aqui a divagar (shame of me)! A história é aquilo que já estamos habituadas(os), Bellamy (aquele director da CIA, lembras-te?) morre e tem em sua mão a chave do seu assassino "Tomás Noronha" que começa a ser perseguido clandestinamente pela CIA para vingar a morte do seu compincha. Para se livrar da morte certa, o maior tem que desvendar o mistério do assassino e provar a sua inocência com a ajuda de Maria Flor (recordaste que ele estava apaixonado por ela?)... o resto é aquilo que sabes, o herói salva o dia, salva a princesa indefesa no ultimo momento graças a ser super inteligente e apesar de ser professor de história dominar super bem os conceitos da física e o romance previsível no final. Apesar de algumas improbabilidades como o facto de um agente da CIA desvendar um mistério que nem Einstein conseguiu, penso que o final (deste assassinato em especifico) foi bastante interessante e bem conseguido.
Mas, se vais agora te lançar em José Rodrigues dos Santos não recomendo este livro, começa por outro. Com toda a certeza encontras outras opções aqui pelo blog.

Já conheces?
Concordas comigo?

Sem comentários:

Enviar um comentário