terça-feira, 8 de março de 2016

Sabes o que andas a comer? Edição especial de chás #9

Menta



A Hyptis Crenata é da família Lamiacede e conta já com a existência de 50 espécies.

A menta é a planta mais antiga registada e utilizada pelas suas propriedades medicinais, ainda hoje é bastante utilizada na fabricação de medicamentos. Esta planta chega a atingir os 40cm de altura e prefere climas temperados, foi espalhada pelo mundo no séc. XVII pelos ingleses, hoje os seus principais consumidores são os marroquinos que o oferece como sinal de cortesia e bem receber.


Desde os tempos antigos, a menta é usada para combater problemas digestivos e gastrointestinais, por ser poderoso na carminativa, ou seja, o processo que ajuda a mover o gás que se acumula e que provoca inchaço, cólicas e mal-estar estomacal. Estimula o fluxo da bile, aumentando a velocidade e eficiência da digestão ao mesmo tempo que se revela um analgésico para cólicas, distensão abdominal e indigestão. Sendo, portanto, indicada para quem sofre de diarreia, Síndrome do Cólon irritável e prisão de ventre. 


Tal como hortelã, a menta revela-se um antiespasmódico natural que reduz a possibilidade de vómito e náuseas de quem viaja e ajuda em caso de tosse, visto que relaxa os músculos da garganta e peito. De facto este relaxamento, conseguido através da diminuição da temperatura interna corporal é bastante importante em caso de febre e inflamação.


Devido às suas propriedades antibacterianas previne doenças e mata germes que causam a halitose.


Esta planta cuja folha mais verde escura é a que contém propriedades medicinais torna-se contra indicada para quem sofre de alergia ao mentol e quem já por si sofre de acidez.

Sem comentários:

Enviar um comentário