sexta-feira, 29 de abril de 2016

Livro: Por ti resistirei

"Ena Pah duas semanas seguidas com opinião de um livro diferente?! Andamos a dá-lhe bem". Na verdade ando a tentar escolher livros com menos páginas para conseguir aumentar a regularidade destes post's que eu sei que gostas... Comprar um livro é quase como assumir um compromisso para a vida, ele vai lá estar na tua mesinha de cabeceira a fazer companhia nas noites mais solitárias, na prateleira a embelezar a sala com memórias de boas histórias, em casa da/o amiga/o que emprestaste porque queres partilhar todo o seu saber, na casa nova, na mesinha de cabeceira dos nossos filhos, em casa dos/as amigos/as dos nossos filhos... vale a pena continuar? Mas, se a escolha for mal feita, ele fica lá na prateleira a ganhar pó, um monte de folhas que não tens coragem de meter fora por respeito ao dinheiro que gastaste, sem significado e que apenas lamentas a árvore que teve que morrer para ele estar ali, só por estar. E por achar isto, valorizo muito estes post's que dão uma revisão do livro, claro que há gostos e gostos e cada qual tem o seu... mas quem sabe se não te ajudo?!


"Carlos e Nicole conheceram-se nas ruas de Paris. As tropas alemãs avançavam em passo forte e determinado, mas todos acreditavam que a capital francesa estava a salvo da loucura de Adolf Hitler. Enganavam-se. Em poucas semanas, as tropas nazis estavam às portas de Paris e milhares de refugiados procuravam salvação. Nicole encontrou-a em Bordéus pelas mãos do embaixador Aristides de Sousa Mendes que lhe entregou um visto para chegar até Portugal, onde finalmente cairia nos braços do seu amado. Longe da guerra, longe do perigo, longe do estigma de ser judia, seria finalmente feliz. Mas há preconceitos que são difíceis de quebrar e mais uma vez os dois amantes são obrigados a seguir caminhos diferentes. Carlos fica em Lisboa, entre os negócios do pai, um homem influente na sociedade salazarista e a doença da mãe. Nicole parte para Londres, uma cidade que vive dias dramáticos sob a ameaça de ser bombardeada pela aviação alemã. Participa no esforço de guerra da melhor forma que sabe, vestindo a farda de enfermeira, pondo em risco a sua vida para ajudar os outros. Na esperança de conseguir esquecer Carlos. Contudo no meio dos escombros da Segunda Guerra Mundial há um amor capaz de resistir a tudo."

Este livro editado pela primeira vez em 2011 teve como autor das suas 250 páginas o Júlio Magalhães, sim o jornalista, e conta a história de um homem português bastante rica que se apaixona por Nicole, uma orfã judia que vivia em Paris. No auge da Segunda Guerra Mundial ele volta para Portugal porque a mãe sofre de Alzheimer e ela, mais tarde, segue-lhe as pisadas quando a França é ocupada pelos Alemães. 
É em Lisboa que se dá uma séries de acontecimentos, que tens que ler, que motivam a separação deles.
É um livro bastante interessante, faz referências históricas adequadas, descreve o cenário negro que os inocentes sofreram com uma guerra que não compraram e no meio deste cenário de horror e como plano principal há o amor, oh o amor!
Estas história é rica nas suas personagens, tem excelentes histórias secundárias com um bom enquadramento com a história principal e uma leitura fácil e fluída. Contudo, peca pela existência de alguns erros que uma segunda edição não deveria admitir, como por exemplo trocar nomes de personagens, e pelo final previsível que exagera na mensagem a transmitir (que o amor vence tudo).


Sem comentários:

Enviar um comentário