sexta-feira, 22 de abril de 2016

Salta uma rubrica como pipocas #30

Fim de semana prolongado, tudo aquilo que queremos para esgotar o stock de séries e filmezinhos dos bons... Os filmes que vou falar hoje são resultado da minha exploração do netflix e pode dizer que é uma ilusão, filmes recentes que é bom é utopia e aqueles que até tenho curiosidade e estrearam na última década, nunca encontro, mas nem tudo é mau e até pode compensar se assim preferires.

Aloha

Duração: 100 min
Género: Comédia, Drama e Romance
Cotação: 5,4/10
Realização: Cameron Crowe
Escrito por: Cameron Crowe
Data de Estreia: 10 de Setembro de 2015
Cotação Pessoal: 5,5/10

Este filme previsivelmente acontece no Hawai quando os militares regressam a casa, Brian retratava-se nesta situação até se dedicar a negócios duvidosos. Já numa situação mais estável foi agregado a Ng uma capitã que o iria ajudar a negociar com os nativos. 
É nesta fase que revê Tracy uma ex namorada que constituiu família John e vivia tranquilamente até o encontrar.
Aqui está a base do seu argumento, consegues adivinhar o seu desfecho, mas curiosamente acho que não será o primeiro cenário que te vem à cabeça... tendo essa capacidade de te fazer ficar na duvida e a torcer por uma delas. A fotografia tem um bom enquadramento, o guarda roupa interessante e a representação está superior ao que o filme merecia e de acordo com o elenco de luxo. 
É um filme bem light que não te faz pensar muito para aqueles dias que estás com a cabeça cheia e queres tudo menos sobrecarregá-la com um argumento mais complexo e elaborado.

Paycheck


Duração: 120 min
Género: Fantasia, Mistério e ação
Cotação: 6,3/10
Realização: John woo
Escrito por: Phillips Dick e Dean Georgaris
Data de Estreia: 19 de Fevereiro de 2003
Cotação Pessoal: 6,9/10

Mike é um engenheiro informático que é pago para desenvolver projectos especiais, quando os termina a sua memória é apagada e recebe o montante seu por direito. No projecto, o mais exigente e duradouro, este pagamento não chega e a substitui-lo recebe um envelope com objectos vulgares e a seu ver de pouca utilidade. Não demorou a perceber que todos teriam um fim e que lhe fariam muito jeito.
Escolhi ver este filme só porque sim, sem grandes expectativas, sem conhecimento prévio e só porque já estava farta de procurar um filme para me ocupar a noite e talvez por isso tenha gostado tanto. O argumento embora não seja genial penso que foi bem conseguido, a representação dentro dos padrões que já estamos habituados com Ben Affleck e a fotografia embora nada de especial está de acordo com a época em que foi filmado, onde não prima pela qualidade dos efeitos especiais mas não desilude os menos exigentes como eu (não fã de efeitos especiais).

Road to Perdition


Duração: 120 min
Género: Crime, Drama e Thriller
Cotação: 7,7/10
Realização: Sam Mendes
Escrito por: Max collins e Richard Piers Rayner
Data de Estreia: 13 de Setembro de 2002
Cotação Pessoal: 7,5/10

Sullivan é um implacável assassino ao serviço do patriarca da máfia irlandesa conhecido como anjo da morte. Se no trabalho era impiedoso e temível, em casa era um bom pai de família e o homem dos olhos dos seus 2 filhos. Isto até ao dia que o mais velho mete-se a bisbilhotar o trabalho do pai, fazendo com que a mãe e o irmão sejam assassinados e ele e o pai alvos do mesmo assassino. É aqui que começa o plano de vingança e a luta pela sobrevivência nas quais o filho torna-se cúmplice.
Embora esteja bem cotado, considero apenas um filme razoável mas com uma boa representação, o argumento é bem previsível,  o guarda roupa pouco interessante, a fotografia fraquinha mas mesmo assim não lamento o dinheiro que dei à EDP para o ver.

Conheces?
Concordas comigo?

Sem comentários:

Enviar um comentário