sexta-feira, 24 de junho de 2016

Livro: O Sentinela


"Até que ponto um único assassinato pode iluminar a crise moral em que se encontra o país?

6 de julho de 2012. Henrique Monroe, inspetor-chefe da Polícia Judiciária, é chamado a um luxuoso palacete de Lisboa para investigar o homicídio de Pedro Coutinho, um abastado construtor civil. Depois de interrogar a filha da vítima, Monroe começa a acreditar que Coutinho foi assassinado ao tentar defender a perturbada adolescente do violento assédio sexual de algum amigo da família. Ao mesmo tempo, uma pen que o inspetor descobre escondida na biblioteca da casa contém alguns ficheiros com indícios de que a vítima poderá também ter sido silenciada por um dos políticos implicados na rede de corrupção que o industrial montara para conseguir os seus contratos.

Tendo como pano de fundo o Portugal contemporâneo, um país traído por uma elite política corrupta, que sofre sob o peso dos seus próprios erros históricos, Richard Zimler criou um intrigante policial psicológico, com uma figura central que se debate com os seus demónios pessoais ao mesmo tempo que tenta deslindar um caso que irá abalar para sempre os muros da sua própria identidade."


Já a muito tempo que não aparecia pelo blog um livro e o motivo é que demorei mesmo muito tempo para terminar este livro. Não porque seja muito extenso ou pouco interessante, mas há tantas coisas, tantos acontecimentos, tantos temas polémicos durante as suas 424 páginas que o torna mais demorado de assimilar e contextualizar.
Um só livro fala sobre as dificuldades em se ser aceite num território que não é o teu, Henrique Monroe emigrante dos EUA fala sobra as dificuldades que enfrenta pelo seu sotaque, experiências diferentes num mundo que todos fazem questão de o lembrar não ser o seu. Sobre transtorno dissociativo da personalidade, segredos que não ousa contar nem à família, consequências de uma infância emocionalmente estragada, abusos sexuais, corrupção politica, desconfiança nos colegas de trabalho e até homossexualidade.  São temas complexos, polémicos e que é impossível de ficares indiferente o que te prende mas choca ao mesmo tempo.
Este policial está recheado de pormenores, de peças soltas que tu própria/o tentas encaixar mas vem sempre um ou outro detalhe que muda tudo.
Recomendo a leitura, nem sempre é fácil e fluída, porque tenta acompanhar o ar pesado dos acontecimentos abordados mas vale a pena.

Sem comentários:

Enviar um comentário