quarta-feira, 27 de julho de 2016

Tudo o precisas de saber antes de colocares papel de parede

Se vais morar sozinha/o muito provavelmente estás afundada/o em planos, "agora posso ter aquele papel de parede lindo, maravilhoso, pelo qual ando a suspirar à tanto tempo"... "paredes brancas? Nãoooooo! Eu quero é cor, estampados, alegria, quero que a casa reflicta o meu eu"... "Naquela parede vou pôr papel de parede estampado com o azulejo português, o sofá branco com almofadas azuis marinho e amarelas, o tapete também em tons amarelos...". Até aqui nada contra, o papel de parede deixou de ser o patinho feio das casas antigas das nossas avós e cada vez mais se transformou no cisne que dá um toque de modernidade e arranca suspiros de quem se está a mudar. Todavia é importante ter em consideração alguns pormenores que te vão ajudar a fazer uma escolha mais consciente,

1. Estilo do papel

Hoje em dia há uma infinidade de modelos, desde o mais básico aos mais trabalhados e sofisticados com relevo em dourado e todas essas "paneleiradas" ao mais puro estilo barroco. Os estampados são lindos mas na hora de escolher é preciso ter em consideração o estilo da casa, os moveis que já tens, os têxteis que pretendes utilizar, mas mais importante o tipo de aplicação (se exige cola ou é autocolante) e o material utilizado.

  • Vinílico: É o papel mais resistente à luz e humildade por ser fabricado em PVC torna-se fácil de lavar.
  • Tradicional: É composto por celulose, o verdadeiro papel, super indicado para ambientes secos. Pode ser limpo com 1 pano húmido. 
  • TNT: É o papel que imita o tecido, exige detergente durante o processo de higienização.

2. Estampados

Se és fã de padrões e estampados tenho uma má noticia para te dar, quanto mais chamativos forem mais cansativos se tornam. 
Lembra-te que o papel de parede é uma coisa difícil de tirar, complicado de mudar e quando retirado estraga a parede... por isso muita ponderação na hora de escolher, quanto mais chamativo o estampado mais presa/o estarás ai nível da decoração.

3. Limitações

Quer queiramos quer não o papel de parede pode criar algumas limitações à decoração, se és das/os que gosta de mudar constantemente de decoração e em vez em quando muda o ambiente, com o papel de parede pode ter a tarefa dificultada.

4. Escolhe a parede

Pode não parecer mas a escolha da parede a aplicar o papel é determinante para tornar o ambiente mais amplo, ou mais aconchegante/intimista, pode ajudar com a iluminação, desempenhar funções acústicas ou térmicas e como tal é deveras importante fazer uma boa escolha.
Uma parede que vai receber o papel de parede não pode ter irregularidades, buracos, textura e problemas com infiltração.

É ainda importante escolher o formato de aplicação se pretendes colocar numa só parede, em todas, apenas em meia parede, numa faixa da parede ou no teto, vai influenciar imenso o efeito.

5. Escolher a divisão

Isto não é só chegar lá colar e já está, que pensas? A própria divisão influencia a escolha do papel da parede e do próprio material de composição:


  • Quarto: O quarto é bastante democrático na hora de escolher o papel, apenas os quartos das crianças precisam de uma atenção redobrada, sendo preferível o vinílico porque acumula menos poeiras e é mais fácil de limpar.
  • Salas: Normalmente opta-se por apenas 1 parede para evitar um ambiente muito pesado e para que se possa caprichar nas almofadas, cortinas, tapetes e outros pormenores de decoração. Quanto mais neutro mais aconchegante se torna, uma sala suporta bem qualquer tipo de papel mas o vinílico é perfeito para quem tem animais de estimação.
  • Cozinha: A área entre a bancada e o armário superior que normalmente todas as cozinhas têm, permite uma meia parede que transforma todo o lugar. Não deve optar por papel em celulose porque não resiste à humildade dos vapores.
  • Casa de banho: O vinílico resiste bastante à água, vapores, sujidade e torna-se fácil de limpar. Como não tem muitos objectos de decoração é a divisão que permite arriscar mais na escolha dos padrões.

Sem comentários:

Enviar um comentário